GT 445 debate estratégias para redução de bycatch de espécies ameaçadas



05 Dezembro 2018

Foi realizada nos dias 03 e 04 de dezembro, em Brasília, a 7ª Reunião do Grupo de Trabalho da Portaria 445, do Ministério do Meio Ambiente (MMA), sobre espécies aquáticas ameaçadas de extinção. O evento marca o último encontro do ano dos membros do grupo e contou com a apresentação de um resumo dos trabalhos realizados ao longo de 2018.

No encontro, foram apresentadas estratégias para a redução do bycatch (capturas incidentais) de espécies ameaçadas em pescarias comerciais. “Muito embora o grupo ainda precise avançar mais na definição das medidas que serão recomendadas, já existe um consenso entre pesquisadores, governo e setor produtivo sobre o que pode ser feito para que espécies ameaçadas capturadas incidentalmente sejam protegidas”, afirma Martin Dias, diretor científico da Oceana no Brasil.

O grupo está trabalhando também em um modelo para monitorar a implantação das medidas presentes nos planos de recuperação de espécies ameaçadas publicados pelo MMA em julho deste ano. Nestes planos, medidas que aprimoram o ordenamento da pesca são apresentadas e devem ser monitoradas.

“A atuação do grupo de trabalho é fundamental. Esperamos que em 2019, os planos de recuperação de espécies publicados este ano sejam implementados e que sejam adotadas medidas efetivas para redução de bycatch e para o monitoramento pesqueiro. O governo que se aproxima precisa compreender a importância deste grupo como espaço para se debater as estratégias para recuperarmos nossos estoques, hoje considerados ameaçados de extinção”, completa Dias.

A Oceana tem entre suas estratégias globais a busca pelo fortalecimento da transparência e a participação nos debates sobre proteção dos ecossistemas marinhos e a promoção da pesca sustentável. Nesse sentido, realiza a transmissão, sempre que possível, de todas as reuniões dos grupos de trabalho ligados à pesca e à conservação das espécies marinhas no Brasil. Os vídeos estão disponíveis nos canais da organização no Facebook e no Youtube

Foto: Instituto de Pesca/SP