Espanha cria segundo maior parque nacional marinho no Mediterrâneo



07 Fevereiro 2019

A Espanha anunciou, na última semana, a criação do segundo maior parque nacional marinho do Mediterrâneo, tornando a área do Parque Nacional de Cabrera nove vezes maior e elevando a área total protegida a 90.794 hectares. Localizado ao sul de Maiorca, oferecerá o mais alto nível de proteção legal para a vida marinha ameaçada, incluindo corais, golfinhos e baleias.

A Oceana vem desenvolvendo ações para proteção dos oceanos e promoção da pesca sustentável e trabalhou pela ampliação do Parque Nacional de Cabrera por mais de 10 anos, por isso a decisão do governo espanhol foi comemorada como uma grande vitória.

“Este é um momento muito importante para a conservação internacional dos oceanos. Esperamos que a decisão do governo espanhol inspire governos de outros países, inclusive o Brasil, a ampliar mecanismos efetivos de proteção do ambiente marinho”, diz Ademilson Zamboni, diretor geral da Oceana Brasil.

No ano passado, o Brasil comemorou a criação da Área de Proteção Ambiental (APA) e do Monumento Natural (Mona) em torno dos arquipélagos São Pedro e São Paulo, em Pernambuco, e o de Trindade e Martim Vaz, no Espírito Santo.

As áreas protegidas ocupam quase 1 milhão de quilômetros quadrados e é um marco na história da conservação ambiental brasileira. Com essas áreas, o Brasil passou de 1,5% para 25% de áreas marinhas protegidas, cumprindo a Meta 11 de Aichi, que previa a proteção de 17% das áreas marinhas e costeiras até 2020.

“No entanto, tão importante quanto criar áreas protegidas é implementar uma gestão eficaz para de fato proteger espécies ameaçadas e ecossistemas vulneráveis”, lembra Zamboni.

Sobre o parque no Mediterrâneo - O Parque Nacional Cabrera abriga uma enorme diversidade de ecossistemas e vida marinha, e é um exemplo perfeito do patrimônio natural subaquático que precisa de proteção para que as futuras gerações tenham a possibilidade de se alimentar dele.

Situado no sul de Maiorca, o Parque Nacional Marítimo-Terrestre do Arquipélago de Cabrera foi criado em 1991 e é o único que a Espanha mantém no Mar Mediterrâneo. Com essa ampliação, a quantidade de área marinha protegida dentro dos Parques Nacionais da Espanha salta de 4% para 23%.

"Esta é a primeira vez que a Espanha dá a máxima proteção legal aos corais de águas profundas e às áreas de mamíferos marinhos como cachalotes e golfinhos, aos corais de árvores amarelas e a peixes grandes como o atum-rabilho, entre outros", disse Marta Carreras, cientista marinha da Oceana na Espanha. “A ampliação também dará a máxima proteção ambiental a outras espécies, em perigo crítico”, explica Carreras.

Trabalho de mais de uma década - A Oceana trabalhou para expandir o parque desde 2007, quando a organização de conservação marinha fez a primeira de uma série de seis expedições para estudar as águas profundas e a vida marinha da região.

Em 2013, Oceana Espanha se juntou ao conselho de administração de Cabrera e, em 2017, alcançou um consenso parlamentar sem precedentes na Espanha: quase todos os partidos políticos no Congresso e todos os do Senado apoiaram a expansão do parque.

A campanha ambiental de uma década foi possível graças ao apoio financeiro da Comissão Européia, Fundação Adessium, Fundação Robertson, Fundação Third Millenium, Govern Balear, Fundación Biodiversidad e Ministério do Meio Ambiente da Espanha.

A Oceana continua a fazer campanha para aumentar a área marinha de outros Parques Nacionais Espanhóis, incluindo a declaração do primeiro Parque Nacional exclusivamente marinho em El Hierro (Ilhas Canárias) e a expansão da área marinha do Parque Nacional de Doñana (Andaluzia).