Oceana lança o Desafio Azul



10 Junho 2020

Comemorando o Dia Mundial dos Oceanos, a Oceana lançou o Desafio Azul: Uma Perspectiva Global. A iniciativa apresenta quatro episódios que abordam desafios e oportunidades enfrentados atualmente pelos oceanos do mundo.

“A Oceana está fazendo essa transmissão pela primeira vez. Combinamos os esforços dos escritórios da Organização no Peru, no México, na União Europeia e no Chile para demonstrar que as políticas de conservação adotadas por um país têm consequências em todo o planeta”, afirmou a equipe de comunicação da Oceana Chile. “Queríamos celebrar os oceanos não apenas por um dia, mas por uma semana inteira, para discutir os problemas que estão afetando os oceanos do mundo e coletar propostas para melhoria com especialistas internacionais, além das maneiras como eles trabalharam em outras partes do mundo”, acrescentaram.

O Desafio Azul começará com uma entrevista do renomado fotógrafo subaquático, explorador da National Geographic e biólogo marinho espanhol Manu San Félix, que viajou pelos oceanos do mundo fotografando os mais diversos ecossistemas e dedicou grande parte de sua carreira à pesquisa no Mar Mediterrâneo, que, na sua opinião, “é uma verdadeira bola de cristal para vermos o que acontecerá com os oceanos do mundo no futuro”.

No episódio seguinte, que será exibido na terça-feira, 9 de junho, conversaremos com Alicia Kuroiwa, diretora de Habitats e Espécies Ameaçadas da Oceana Peru, sobre os avanços em questões de conservação e os desafios e ameaças enfrentados por essa potência global da pesca.

“No Peru, a Oceana tem desempenhado um papel fundamental na luta contra o comércio de espécies marinhas, principalmente tubarões”, disse Alicia Kuroiwa. Ela explica que, há quase dois anos, a Organização vem proporcionando apoio e formação técnicos às autoridades peruanas para identificar espécies de tubarões cujo comércio internacional é restrito. “Os ótimos resultados obtidos no país fizeram com que o Secretariado da Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Fauna e da Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção (CITES, na sigla em inglês) reconhecesse o Peru como o líder mundial da luta contra o comércio de barbatanas de tubarão”, acrescentou Kuroiwa.

Na quarta-feira, 10 de junho, Ricardo Aguilar, diretor de Expedições da Oceana na Europa, fará uma apresentação do trabalho realizado por esse escritório. O biólogo marinho possui ampla experiência em expedições científicas desenvolvidas pela Oceana nos mares do velho continente.

“Só temos conhecimento aprofundado de cerca de 5% dos oceanos do mundo e, para continuar a protegê-los, precisamos saber muito mais. Graças às expedições da Oceana na Europa, descobrimos espécies e habitats que nunca foram documentados”, disse Aguilar. “Essas descobertas são muito úteis para fornecer uma base científica ao nosso trabalho, seja para lutar por sistemas de pesca mais sustentáveis, para impedir que o plástico chegue ao oceano ou para continuar ampliando as áreas marinhas protegidas em nível europeu ou internacional”, acrescentou.

Encerrando a série de entrevistas do Desafio Azul, conversaremos com Renata Terrazas, recém-nomeada diretora-geral da Oceana México, o mais novo escritório da organização no mundo, que nos contará sobre os grandes desafios que este país enfrenta em relação à conservação marinha.

“O México é um dos 17 países com maior produção pesqueira, com captura anual de 2 milhões de toneladas. Infelizmente, não existem políticas de restauração que garantam a abundância e a disponibilidade dessa fonte de alimento para as gerações futuras”, afirmou Terrazas. “Além disso, a pesca ilegal e a sobrepesca são uma ameaça constante para essas e outras espécies em um dos países com maior biodiversidade marinha e no qual 80% das pescarias estão na capacidade máxima ou já estão superexploradas. É por isso que trabalhamos com o governo federal para desenvolver uma política de rastreabilidade e restauração, além de impulsionar o uso da plataforma Global Fishing Watch, para que outras perspectivas possam nos ajudar a proteger e conservar a riqueza de nosso oceano”.

O Desafio Azul estará disponível para transmissão ao vivo nas contas do Facebook da Oceana Chile, Oceana Peru, Oceana México e Oceana Europa. Posteriormente, o programa será compartilhado nos respectivos canais do YouTube para reviver cada uma das entrevistas com especialistas em questões de conservação marinha.