Pesquisa nos EUA revela que 89% dos consumidores defendem critérios para evitar pesca ilegal e fraude nos pescados



03 Fevereiro 2021

A Oceana divulgou os resultados de uma pesquisa nacional que concluiu que a maioria dos americanos apoia as políticas para acabar com a pesca ilegal e as fraudes no setor pesqueiro. Entre os principais resultados, 89% dos participantes da pesquisa concordam que o pescado importado deve obedecer aos mesmos padrões do que é capturado nos Estados Unidos. Além disso, 81% dos eleitores apoiam políticas impedindo a venda, no país, de pescados marinhos que envolvam o uso de tráfico de pessoas e trabalho escravo, 83% concordam que todo o produto deve ser rastreável da embarcação ao prato, e 77% defendem a exigência de que todas as embarcações de pesca sejam rastreáveis publicamente.

“Os consumidores dos Estados Unidos não deveriam ter que se preocupar se os pescados marinhos que consomem foram capturados ilegalmente ou pescados com o uso de trabalho forçado. Todos os produtos vendidos no país devem ser seguros, pescados dentro da lei, ter origem responsável e ser rotulados com honestidade”, disse a vice-presidente adjunta da Oceana para campanhas, Beth Lowell. “É claro que os americanos querem e precisam saber mais sobre o pescado que estão comendo. O presidente Biden e seu governo têm a oportunidade de liderar a luta contra a pesca ilegal, não declarada e não regulamentada, ao mesmo tempo em que fazem justiça a pescadores e empresas de pescados americanos, e protegem os consumidores. É uma vitória de todos.”

Entre os principais resultados da pesquisa entre os eleitores estão:

• 87% concordam que o produto capturado usando tráfico de pessoas e trabalho escravo não deve ser comprado nem vendido nos Estados Unidos.

• 92% concordam que os consumidores devem poder confiar nos pescados marinhos que comem, inclusive em termos de segurança, captura legal, rotulação honesta e origem responsável.

• 90% concordam que a rotulagem incorreta é injusta para pescadores, fornecedores e restaurantes honestos, que rotulam seu produto de forma correta.

• 75% querem saber mais sobre os pescados que comem, incluindo o que são, onde e como foram capturados.

• 60% dizem que estão dispostos a pagar mais para garantir que os pescados não sejam de origem ilegal.

• 87% concordam que o governo precisa fazer mais para garantir que os consumidores comprem produtos devidamente rotulados.

SUSTENTABILIDADE ACIMA DE PARTIDO POLÍTICO

A pesquisa foi realizada com cidadãos que se registraram para votar nas eleições de 2020 e mostra que a sustentabilidade da pesca é importante tanto para Republicanos quanto para Democratas (os dois únicos partidos existentes nos Estados Unidos).

Eleitores dos dois partidos concordam que o governo precisa fazer mais para proteger os consumidores e implementar políticas que acabem com a pesca ilegal.

• Oito em cada dez Republicanos (79%) e Democratas (83%) apoiam a ideia de garantir de que todos os pescados marinhos nos Estados Unidos sejam capturados dentro da lei.

• 91% dos Democratas e 85% dos Republicanos concordam que o governo do país precisa fazer mais para assegurar que os consumidores comprem produtos devidamente rotulados.

• Oito em cada dez Democratas (82%) e Republicanos (77%) apoiam a exigência de que as embarcações de pesca sejam rastreáveis publicamente.

• 84% dos Republicanos e 85% dos Democratas concordam que os pescados devem ser rastreados da embarcação ao prato.

• 89% dos Democratas e 87% dos Republicanos concordam que pescados capturados com tráfico humano e trabalho escravo não devem ser comprados nem vendidos no país.

“A esmagadora maioria dos americanos concorda que os consumidores devem poder confiar nos pescados que comem, inclusive em termos de segurança, captura legal, rotulação honesta e origem responsável”, disse Lowell. “Infelizmente, as políticas atuais não são suficientes para impedir que o produto capturado ilegalmente entre no mercado dos Estados Unidos. Mas as soluções são simples e têm amplo apoio: todas as embarcações de pesca devem ser rastreáveis publicamente e todo o produto deve ser rastreado da embarcação ao prato. É hora de o país deixar de sustentar inadvertidamente a rede mundial de pesca ilegal, trabalho escravo e tráfico de pessoas. Americanos que apoiam ambos os partidos concordam com essas questões, e o presidente Biden deve partir dos esforços dos governos anteriores para erradicar a pesca ilegal de uma vez por todas”.

PESCA ILEGAL

A pesca ilegal representa uma das maiores ameaças aos nossos oceanos. Estima-se que até 30% dos pescados extraídos do mar em todo o mundo sejam produto de pesca ilegal, não declarada e não regulamentada (INN ou da sigla em inglês IUU), que movimenta 25 a 50 bilhões de dólares anualmente.

Nos Estados Unidos, até 90% do pescado consumido são importados, e até um terço das importações de produto capturado na natureza são provenientes de pesca INN. Ela pode incluir pesca não autorizada, fora dos limites de captura, em áreas fechadas, com equipamentos ilegais ou de peixes ou outros animais cuja pesca é proibida. As atividades ilícitas podem destruir os habitats essenciais, esgotar gravemente as populações de peixes e ameaçar a segurança alimentar global.

Essas ações não apenas contribuem para a sobrepesca, mas também dão aos pescadores ilegais uma vantagem injusta sobre aqueles que seguem as regras. Também prejudica a gestão responsável da pesca comercial e da conservação do oceano.

Trabalho forçado e abusos aos direitos humanos também costumam estar associados à pesca IUU, uma atividade de riscos baixos e lucros altos, principalmente em alto mar, onde um marco jurídico fragmentado e a falta de fiscalização eficaz permitem que ela prospere. Em 2018, o governo dos Estados Unidos exigiu documentação de captura e rastreabilidade sobre recursos pesqueiros com risco de envolvimento com pesca ilegal e fraude, mas atualmente, o Programa de Monitoramento de Importação de Frutos do Mar (SIMP) se aplica apenas a 13 tipos de pescado importados e os rastreia do barco até a fronteira com o país.

Em 2019, a Oceana divulgou os resultados de uma investigação sobre fraude em pescados testando produtos populares, não cobertos pelo SIMP, e descobriu que um em cada cinco itens testados em todo o país fora rotulado incorretamente. A fraude acaba prejudicando pescadores honestos e empresas que seguem as regras, mascara os riscos à conservação e à saúde de certas espécies, e ludibria os consumidores, que acabam sendo vítimas de propaganda enganosa.

A pesquisa nacional realizada na internet pela empresa Ipsos, que não é ligada a nenhum dos dois partidos, entrevistou 1.005 adultos em todos os Estados Unidos, entre 11 e 14 de dezembro de 2020, e encontrou, em ambos os lados, amplo apoio a políticas destinadas a aumentar a transparência e a rastreabilidade dos pescados.

A Oceana promove campanhas para acabar com a pesca ilegal, aumentar a transparência no mar e exigir a rastreabilidade de todos os recursos pesqueiros, e assim garantir que todos sejam seguros, capturados legalmente, de origem responsável e rotulados com honestidade.

Veja os resultados completos da votação aqui.