Tainhômetro conta tainhas pescadas em 2018



05 Junho 2018

Hoje, Dia Mundial do Meio Ambiente e Dia Internacional Contra a Pesca Ilegal, Oceana e parceiros lançam o Tainhômetro 2018 (http://www.tainhometro.org.br/). O site traz informações sobre o monitoramento da pesca da tainha, com o acompanhamento das cotas de captura.

A primeira versão do Tainhômetro foi ao ar em 2017 a partir de dados oferecidos voluntariamente pelos pescadores, com o objetivo de demonstrar a viabilidade de controle. A plataforma atual traz, além de um contador das toneladas capturadas, informações sobre gestão, legislação, fotos, notícias, estudos científicos e abre espaço para denúncias de pesca ilegal.

Depois de anos sofrendo judicialização, a safra da tainha conta a partir de 2018 com cotas de captura definidas com base em dados científicos. “O ordenamento pesqueiro e monitoramento são ferramentas estratégicas para combater a pesca ilegal e evitar o esgotamento dos recursos pesqueiros” defende o diretor geral da Oceana no Brasil, o oceanógrafo, Ademilson Zamboni.

Para viabilizar o uso de cotas, foi criado um sistema online por meio do qual toda produção de tainha é obrigatoriamente registrada. O monitoramento desses dados está sendo feito por Comitê de acompanhamento formado pelo governo, sociedade civil e setor produtivo.  O avanço é um marco histórico: “A gestão da pesca da tainha pode se tornar uma referência para outras pescarias. É fundamental que o ordenamento pesqueiro seja pensado sob a perspectiva científica, assim o meio ambiente e os pescadores ganham” completa Zamboni.

“Avançamos muito na gestão pesqueira com a adoção das cotas e instrumentos de monitoramento, a proposta é avançar ainda mais, fortalecendo sempre instâncias como os Comitês Permanentes de Gestão e do Uso Sustentável dos Recursos Pesqueiros  (CPGs), fundamentais para construção de políticas públicas com diálogo entre setor pesqueiro, academia e governo” explica Elielma Borcem, coordenadora no Departamento de Planejamento e Ordenamento da Pesca da Secretaria Especial da Aquicultura e Pesca (SEAP/PR).

O site foi elaborado pela Oceana no Brasil e é resultado de parceria com a Secretaria Especial da Aquicultura e Pesca (SEAP/PR), o Ministério do Meio Ambiente (MMA), a Associação de Pescadores Profissionais Artesanais de Emalhe Costeiro de Santa Catarina (APPAECSC), o Sindicato dos Armadores e da Indústria da Pesca de Itajaí e Região (SINDIPI), o Conselho da Pastoral dos Pescadores (CPP) e a Secretaria de Pesca e Aquicultura de Laguna – SC. “A iniciativa tem como objetivo fortalecer a gestão dessa pescaria possibilitando compatibilizar a proteção da espécie com o uso do recurso” afirma Henrique Anatole, coordenador do Uso Sustentável dos Recursos Pesqueiros, do Ministério do Meio Ambiente (MMA).

 

Mais informações:

Camilla Valadares

Comunicação – Oceana no Brasil

(61) 3247-1888 / 9 9161-3559