A pesca de arrasto de fundo é uma atividade pesqueira extremamente danosa. Nela, mais de 70% das espécies capturadas são devolvidas ao mar, geralmente mortas, causando grande impacto ambiental e desperdício de recursos. Felizmente, em 2018, mais de 13 mil km² da costa do Rio Grande do Sul foram protegidos dessa pescaria, beneficiando as populações de peixes e a atividade pesqueira na região.