A pesca da tainha tem grande importância socioeconômica para pescadores artesanais e industriais, especialmente nas regiões Sudeste e Sul do país. No entanto, o aumento da atividade pesqueira provocou sua sobrepesca nos últimos anos. Diante disso, a Oceana realizou estudos científicos e propôs um limite de captura. Em 2018, pela primeira vez, foram adotadas cotas para a pesca da tainha, permitindo sua proteção e a continuidade da tradição.